Sobre DTM/ATM

Disfunções Temporomandibulares (DTM)

As alterações funcionais do sistema mastigatório pela DTM são muito comuns na população em geral. Cerca de 60% dos indivíduos apresentam pelo menos um sinal de DTM como o ruído na Articulação Temporomandibular (ATM), e pelo menos 33% sofrem como dor na face ou na ATM (Leeuw, 2010).

Os pacientes com DTM frequentemente se queixam de:
- Dor na Cabeça Dor na face e no pescoço
- Dor na ATM (próximo ao ouvido)
- Cansaço na mastigação
- Ruídos na ATM (próximos ao ouvido)

Principais fatores relacionados como causas da DTM
Trauma   
- Macrotrauma - direto ou indireto (acidentes de modo geral);  
- Microtrauma - provocado por traumas de pequena monta, realizados de maneira   repetitiva, como hábitos parafuncionais (bruxismo, apertamento dental, etc)  
 
Fatores Fisiopatológicos  
- Fatores sistêmicos - doenças degenerativas, endócrinas, infecciosas, metabólicas, neoplásicas, neurológicas, vasculares e reumatológicas. 
- Fatores locais - alteração na viscosidade do líquido sinovial, aumento da pressão  intra-articular, estresse oxidativo, etc. 
- Fatores genéticos - presença de haplotipos associados à sensibilidade dolorosa. 
 
Fatores Psicossociais - ansiedade e depressão 
(Leeuw, 2010)

saiba mais...


Oclusão como causa da DTM

- É consenso entre pesquisadores, e clínicos especializados em Dor Orofacial, que a oclusão dentária não pode mais ser considerada fator primário na etiologia da DTM.
 
(Magnusson,1994; McNamara & Trup, 1997; Selligman & Pullinger, 2000; Egermark, Magnusson and Carlsson, 2003; Mohlin et al., 2004).

saiba mais...
 

Tratamentos da DTM
- O objetivo do tratamento da DTM é controlar a dor, recuperar a função do aparelho mastigatório, reeducar o paciente e amenizar cargas adversas que perpetuam o problema.
 
- 90% dos pacientes que receberam tratamentos preservadores. Educação do paciente, automanejo, intervenção comportamental, utilização de fármacos, placas  interoclusais, terapias físicas, treinamento postural e exercícios compõem a lista de opções aplicáveis a quase todos os casos de DTM.
(De Laat et al., 2003; Michelotti et al., 2004; Nicolakis et al., 2002; Schiffman et al., 2007; Yuasa & Kurita,2001)

- Viscossuplementação das Articulações Temporomandibulares 

saiba mais...


Cirurgia da Articulação Temporomandibular (ATM)

- A Articulação Temporomandibular é uma estrutura localizada anteriormente ao ouvido, onde a base do crânio e a mandíbula se encontram. Esta estrutura permite os movimentos e funções mandibulares.As disfunções das articulações temporomandibulares (DTM) são comuns e apresentam uma variedade de sintomas, incluindo dor de ouvido, dor de cabeça e limitação da abertura bucal. Sons articulares como estalidos e crepitação, assim como dor durante abertura e fechamento bucal geralmente estão presentes.

O objetivo do tratamento da DTM é controlar a dor, recuperar a função do aparelho mastigatório, reeducar o paciente e amenizar cargas adversas que perpetuam o problema. Consiste em exercícios mandibulares, fisioterapia, reeducação quanto a hábitos parafuncionais e no uso de dispositivos interoclusais (placas oclusais). Infiltração intra-articular, toxina botulínica e acupuntura também são terapias bastante eficazes em casos indicados.  saiba mais...

Contudo, nos casos onde o tratamento clínico não oferece o resultado desejável, ou nos pacientes com dano articular aparente, como nos casos de fraturas (após trauma), anquilose (casos onde ocorre formação óssea na região articular impedindo a abertura bucal), nos casos de reabsorção idiopática da articulação, luxação mandibular recorrente (travamento com boca aberta sucessiva), e lesões patológicas (neoplasias), a cirurgia da ATM pode estar indicada.

Os casos cirúrgicos devem ser avaliados por um Cirurgião Bucomaxilofacial, que após a avaliação e estudo de cada caso indica o procedimento mais adequado a ser realizado. Estes incluem:

ARTROCENTESE
- Lavagem da articulação para remoção de processos inflamatórios. Geralmente realizada em ambiente ambulatorial com uso de sedação endovenosa, esta, realizada por médico anestesista.

ARTROSCOPIA
- Procedimento que permite a visualização direta da ATM, permitindo diagnóstico e tratamento desta estrutura. Possibilita a lavagem e remoção de processos inflamatórios e aderências. É considerado um processo menos invasivo do que as cirurgias abertas, gerando cicatrização mais rápida por gerar menor trauma. É realizada em ambiente hospitalar, sob anestesia geral, como os demais procedimentos a seguir.

DISCOPEXIA
- Cirurgia aberta para reposicionamento do disco articular com deslocamento, na tentativa de reposicioná-lo em posição anatômica funcional. Realizada com auxílio de dispositivos (âncoras reabsorvíveis) que permitem a sutura para recapturar o disco.

ARTROPLASTIA
- Procedimento onde é realizado plastia, remodelação da estrutura óssea anormal. Geralmente associado à discopexia. Permite obtenção de um formato articular mais adequado, gerando melhor função do sistema mastigatório.

SUBSTITUIÇÃO PROTÉTICA TOTAL DA ATM
- Cirurgia onde toda a estrutura articular é substituída por prótese. Realizada em casos mais agressivos, sem resposta aos demais tratamentos. Indicada nos estados degenerativos severos da Articulação Temporomandibular que podem ser consequentes de traumas faciais, reabsorção condilar idiopática, osteoartrites, artrite reativa, anquilose, doenças auto-imunes e exposição das ATM à múltiplas cirurgias.

http://www.promm.com.br


Cirurgia Ortognática

A Cirurgia Corretiva dos Maxilares (Cirurgia Ortognática) é realizada por um Cirurgião Bucomaxilofacial para corrigir uma ampla variedade de deformidades esqueletais e dentárias, podendo melhorar questões funcionais como a mastigação, fala, deglutição e respiração. A aparência facial também pode apresentar uma melhora significativa pela correção de deformidades e assimetrias existentes.

Algumas condições que podem indicar este tipo de cirurgia incluem:
- Dificuldade mastigatória
- Dificuldade de deglutição, de engolir
- Dor crônica na região da articulação temporomandibular e da cabeça
- Desgaste excessivo dos dentes
- Mordida aberta (presença de espaço entre os dentes superiores e inferiores quando a boca está fechada)
- Desequilíbrio facial na vista frontal ou de perfil
- Trauma facial ou deformidade congênita (presente no nascimento)
- Queixas como maxila, mandíbula ou mento (queixo) muito proeminentes ou deficientes
- Impossiblididade de fechar os lábios
- Respiração bucal crônica
- APNEIA do sono (problemas respiratórios durante o sono, incluindo ronco).

QUAIS PACIENTES PODEM SER BENEFICIADOS COM ESTE TIPO DE CIRURGIA?
As pessoas que podem ser beneficiadas com a Cirurgia Ortognática incluem aquelas que apresentam oclusão (encaixe dos dentes) inadequada, resultante do desalinhamento dentário e ósseo (maxila, mandíbula e mento desproporcionais).

Em alguns casos, estas estruturas ósseas podem crescer e se desenvolver de maneiras diferentes, causando estas alterações. Enquanto a ortodontia é capaz de corrigir a má oclusão, onde apenas os dentes estão desalinhados, a cirurgia ortognática é capaz de corrigir as discrepâncias dentárias e ósseas.

AVALIANDO A SUA NECESSIDADE PARA ESTE TIPO DE PROCEDIMENTO
A avaliação criteriosa do Ortodontista e Cirurgião Bucomaxilofacial, associada à queixa do paciente, irão determinar se o paciente necessita este tipo de cirurgia.
O cirurgião determina qual o tipo de cirurgia e quais movimentos são necessários para a correção da deformidade e realiza o procedimento.

É importante compreender que o tratamento ortodôntico precisa estar associado ao cirúrgico, sendo assim, movimentos ortodônticos serão provavelmente necessários antes e depois da cirurgia para permitir movimentos esqueléticos e possibilitar melhor resultado anatômico funcional.

A compreensão do paciente da necessidade do tratamento integrado entre cirurgião e ortodontista e demais especialidades, quando necessário, é de extrema importância, pois um longo período de tratamento ortodôntico pode ser necessário antes da cirurgia, seguido de finalização ortodôntica após este procedimento.
O tempo estimado para obtenção do melhor resultado para o paciente é discutido entre os profissionais e informado ao paciente.

 

CIRURGIA ORTOGNÁTICA: NO QUE ELA CONSISTE?
No período que antecede a cirurgia, a ortodontia reposiciona os dentes em uma nova posição. Como os dentes estão sendo colocados em uma posição para que uma melhor oclusão (encaixe dentário) seja obtida após a cirurgia, o paciente pode pensar que a oclusão está ficando pior ao invés de melhorar. Este movimento possibilita movimentações necessárias para que um encaixe adequado dos dentes seja obtido depois do procedimento cirúrgico.

Depois de finalizado o tratamento ortodôntico que antecede a cirurgia, novos exames de imagem (raio-x, tomografias, etc.) e documentação ortodôntica serão solicitados, para auxiliar no planejamento cirúrgico.
A cirurgia será realizada em ambiente hospitalar, sob anestesia geral, pelo cirurgião Bucomaxilofacial e equipe de anestesia. A duração da cirurgia pode variar em uma média de uma a quatro horas.O seu Cirurgião irá reposicionar as estruturas ósseas de acordo com suas necessidades específicas. Em alguns casos, osso pode ser adicionado (enxertos ósseos), removido ou remodelado. Placas e parafusos cirúrgicos (material de fixação) serão utilizados para manter as estruturas ósseas em sua nova posição. As incisões necessárias são usualmente realizadas por dentro da boca, evitando possíveis cicatrizes.

Depois da cirurgia, instruções são dadas pelo cirurgião e sua equipe para uma dieta modificada, que pode incluir apenas alimentos pastosos e líquidos no pós-operatório imediato, voltando gradativamente a uma dieta normal. A atividade física pode ficar restrita por curto período a ser discutido com o profissional.

A dor após a Cirurgia Ortognática é facilmente controlada com medicações e os pacientesgeralmente se encontram aptos a voltar a suas atividades em um período de uma a três semanas após a cirurgia.

 

BENEFÍCIOS
A Cirurgia Ortognática move seus dentes e maxilares para uma posição mais balanceada, funcional e saudável. Apesar do objetivo primário ser de melhorar a mordida e função, alguns pacientes podem apresentar melhoras significativas de sua aparência e fala. O resultado deste procedimento pode ter um efeito altamente positivo em muitos aspectos da vida do paciente.

 

RISCOS
A cirurgia ortognática é realizada frequentemente com excelentes resultados, contudo, todo tipo de cirurgia envolve algum tipo de risco aser discutido com o cirurgião responsável. Complicações que podem ocorrer incluem sensação de dormência na região operada e próximas a cirurgia por um curto período a alguns meses. Outras complicações, menos comuns, incluem infecção, instabilidade óssea e problemas associados à anestesia.

 

Correção Classe II - Cirurgia Ortognática Ortodontia


Correção Classe III - Cirurgia Ortognática Ortodontia

Responsabilidades para com o paciente portador de DTM:
Veja o que o I Consenso em DTM SP/2010 disse a respeito...